Pular para o conteúdo principal

GANHOU, MAS PERDEU

Massa com o troféu do GP Brasil 2008

Era sabido que a missão impossível de Massa não seria fácil e por conta disso a própria vitória na corrida acabou perdendo até a graça com a conquista do título de Hamilton.
A Rede Globo até titubeou para começar o Tema da Vitória, pois não sabia se seria tocado pelo GP Brasil ou pelo campeonato de pilotos. Foi engraçado para não dizer que foi triste. Reginaldo Leme e Galvão Bueno fazendo as gafes já conhecidas, entre elas a nova de confundir voltas com trechos de volta. Isso não precisava acontecer diante de tanto tempo na TV. Já era para ter aprendido.
Dos fatos estranhos da corrida, destaco como a BMW defendeu a Mercedes na prova. Ela já se retraiu na classificação, o que deu a entender que não iria atrapalhar o título do inglês. Depois na corrida, depois de ficar como retardatário, Kubica andava na mesma balada da melhor  McLaren na pista. 
Seria algum complô anti-ferrari? Não sei. Mas nessa brincadeira, perdeu o terceiro posto no campeonato de pilotos. Kimi passou Kubica com os pontos do pódium. O finlandês da Ferrari não foi melhor que Massa e Alonso, que foi o melhor piloto no final do campeonato. Pena que seu companheiro de Renault não tenha o mesmo ritmo. Piquet Jr ficou no meio do caminho. Abortou a corrida nos acidentes da primeira volta. Coisa de iniciante.
As Toyotas estavam lá no meio da disputa do título, mas no final não fizeram muito. Deixaram apenas os brasileiros com um fio de esperança e quando as lágrimas já estavam vindo à tona de tanta emoção, Timo Glock tira o pé e Hamilton conquista o último ponto que precisava para fazer a diferença.
Massa venceu mais. Seis vezes. Hamilton não teve uma equipe gerando contra-tempos inutéis como largar uma mangueira de combustível engatada ou deixar de marcar pontos quando a vitória estava garantida a duas voltas do final da prova.
Não tenho dúvida que Massa foi mais piloto que Hamilton e que saí deste ano mais fortalecido para a disputa do campeonato do ano que vem. Ele será valorizado e a equipe tentará se redimir de tantos erros que custaram o campeonato.
O GP Brasil 2008 também será marcado com seu nome. São três poles em três anos. Venceu duas e deu uma vitória de presente para o companheiro de equipe. Veremos também de forma única uma prova abrindo e fechando com chuva e com céu aberto no meio - coisas de São Paulo. 
Agora tudo acabou. Para os pilotos, 98 a 97 e Hamilton leva o título. Por equipes, a McLaren não leva por falta de adestramento de Kovalainen. Ele é fraquinho demais e tem tudo para ser despejado ou ficar de sombra como nosso querido Rubinho que sempre foi pago para ficar para trás.
No legado de 2008, ficamos com Massa. Esse é o mundo real dos brasileiros. Um piloto cheio de garra, inteligente e que quase leva a Ferrari de Stefano Domenicali ao feito tantas vezes repetido por Ross Braw e Jean Tod.
Massa fechou o dia com a declaração de que sabe ganhar e perder e que tudo isso faz parte do momento. Resta a nossa esperança de ver essa mesma tranquilidade no ano que vem, contando uma história diferente, seguido de uma grande festa.
Aproveito para parabenizar Hamilton que foi um grande adversário e soube aproveitar as lições do passado para sair com o título de campeão mundial este ano.

A foto dessa é parte integrante do álbum de fotos do UOL, assinada pela AFP/Vanderlei Almeida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS 7 PASSOS PARA UMA REUNIÃO PRODUTIVA

Compartilho com colegas de trabalho, alunos e familiares as mesmas dificuldades em tornar as reuniões profissionais, pessoais e acadêmicas mais produtivas. Ocorre quase sempre que falta um ar de satisfação coletivo, rastros infinitos de que o encontro não passou de perda de tempo e que apareceram mais problemas do que propostas de solução. Foi pensando em conquistar a sensação que o trabalho realizado na reunião produziu os frutos desejados que aceitei o desafio em propor um modelo que tornasse este glorioso momento em algo positivo. Extrair visão de aprendizado para apoiar a continuidade dos serviços e o que mais possamos tratar durante o evento. O roteiro propõe os seguintes passos: 1. Divulgação prévia da pauta; 2. Preparação para a reunião; 3. Executar o que foi planejado pela ordem; 4. Validar as resoluções item por item durante a reunião; 5. Finalizar a reunião no horário acordado; 6. Assinar a ata durante a reunião e; 7. Agradecer as colaborações aos participantes.

RESTRIÇÃO TRIPLA É SÓ PARA COMEÇAR

Qualquer coisa que resolvemos fazer na vida com razoável controle na avaliação do sucesso da ação estará de alguma forma ligado a uma definição de entregáveis, um espaço de tempo para realização e uma determinada quantidade de dinheiro para o investimento. Daí derivam-se Escopo, Tempo e Custo, conhecidas como restrição tripla na gerência de projetos. Esse conceito é fortemente difundido pelo PMI, organização que mantém um acervo de técnicas para gerenciamento. A tradicional restrição tripla tem sido amplamente divulgada também considerando as necessidades da qualidade. Afinal, a conformidade entre o planejamento e a execução forneceria ótimos parâmetros para registro se o trabalho aconteceu de forma correta. Após observar o nível da importância da qualidade nesse contexto podemos refletir sobre se é este o final da discussão. Muita gente boa já considera que não, pois é bem possível que mesmo que haja alta conformidade na realização o cliente não fique satisfeito. Se nos limi

UMA TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Até mesmo uma simples flor perdida Em um jardim qualquer abandonado Vai ter um quê especial e encantado Por semear a essência para nova vida É um jogo de chegadas e partidas Um inseto, um pássaro ou o vento São ferramentas desse divino movimento  Quase nunca lembradas ou conhecidas De fato a flor nos ensina por essência Que a vida surge em ato de paciência  E uma colaboração mútua e voluntária  Em cada esquina um novo broto belo E seus botões rosa, branco ou amarelo Numa permanente transição planetária