Pular para o conteúdo principal

TODAS AS LISTRAS DO MUNDO


© The Cahier Archive

Falo de listras por necessidade em ver Felipe Massa campeão da Fórmula 1 no próximo domingo, dia 02 de novembro de 2008. Quero que dê zebra.
A história da zebra vem da idéia de dar um bicho que não tem no jogo-do-bicho, que diferente de Massa que está no páreo porém com uma reconhecida desvantangem contra o inglês Lewis Hamilton.
O fato é existem umas combinações em caso de vitória ou em chegada em segundo lugar para o brasileiro ser campeão. É nessa idéia que eu e um monte de brasileiros depositam suas esperanças.
E como torcer para Felipe ser dar bem sem que o Hamilton venha se dar mal?
Confesso que não sei, mas não custa deixar que o piloto da McLaren venha descobrir alguma nova diversão por São Paulo e deixe a corrida transcorrer normalmente, esquecendo a disputa como a última oportunidade de ser campeão de sua vida.
Ao nosso favor, o retrospecto. Ano passado a Ferrari virou sete pontos de desvantagem em cima do mesmo adversário para levar o título de pilotos.
E por que não este ano de novo?
Que os torcedores paulistam conduzam boas energias para que Massa conquiste uma bela vitória e que outros pilotos como Kimi, Kubica, Vetel, Alonso, Piquet, Heidfield e Rubinho possam marcar pontos. Daí Hamilton pode chegar muito bem colocado de nono para trás, que vai estar tudo certo.
Que venha a chuva!

Comentários

  1. Fala Átila!! Esse ano voltei a acompanhar a fórmula 1, não com o afinco e a assiduidade que tínhamos há uns 15 anos aqui em Natal, quando juntávamos eu, você e Jenner para tomar cerveja e assistir as corridas de Senna. Lembro da vez que acabamos etilicamente alterados e fomos para num parque de diversões!! Bons tempos, que só ficam as lembranças
    Um abração
    Luiz Alexandre (Gordo)
    Natal/RN

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Participe!

Postagens mais visitadas deste blog

OS 7 PASSOS PARA UMA REUNIÃO PRODUTIVA

Compartilho com colegas de trabalho, alunos e familiares as mesmas dificuldades em tornar as reuniões profissionais, pessoais e acadêmicas mais produtivas. Ocorre quase sempre que falta um ar de satisfação coletivo, rastros infinitos de que o encontro não passou de perda de tempo e que apareceram mais problemas do que propostas de solução. Foi pensando em conquistar a sensação que o trabalho realizado na reunião produziu os frutos desejados que aceitei o desafio em propor um modelo que tornasse este glorioso momento em algo positivo. Extrair visão de aprendizado para apoiar a continuidade dos serviços e o que mais possamos tratar durante o evento. O roteiro propõe os seguintes passos: 1. Divulgação prévia da pauta; 2. Preparação para a reunião; 3. Executar o que foi planejado pela ordem; 4. Validar as resoluções item por item durante a reunião; 5. Finalizar a reunião no horário acordado; 6. Assinar a ata durante a reunião e; 7. Agradecer as colaborações aos participantes.

RESTRIÇÃO TRIPLA É SÓ PARA COMEÇAR

Qualquer coisa que resolvemos fazer na vida com razoável controle na avaliação do sucesso da ação estará de alguma forma ligado a uma definição de entregáveis, um espaço de tempo para realização e uma determinada quantidade de dinheiro para o investimento. Daí derivam-se Escopo, Tempo e Custo, conhecidas como restrição tripla na gerência de projetos. Esse conceito é fortemente difundido pelo PMI, organização que mantém um acervo de técnicas para gerenciamento. A tradicional restrição tripla tem sido amplamente divulgada também considerando as necessidades da qualidade. Afinal, a conformidade entre o planejamento e a execução forneceria ótimos parâmetros para registro se o trabalho aconteceu de forma correta. Após observar o nível da importância da qualidade nesse contexto podemos refletir sobre se é este o final da discussão. Muita gente boa já considera que não, pois é bem possível que mesmo que haja alta conformidade na realização o cliente não fique satisfeito. Se nos limi

UMA TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Até mesmo uma simples flor perdida Em um jardim qualquer abandonado Vai ter um quê especial e encantado Por semear a essência para nova vida É um jogo de chegadas e partidas Um inseto, um pássaro ou o vento São ferramentas desse divino movimento  Quase nunca lembradas ou conhecidas De fato a flor nos ensina por essência Que a vida surge em ato de paciência  E uma colaboração mútua e voluntária  Em cada esquina um novo broto belo E seus botões rosa, branco ou amarelo Numa permanente transição planetária